VOCÊ SABIA? | Tabagismo e saúde bucal

Dentre as pessoas que morrem de câncer bucal, 90% são fumantes. E o cigarro ainda provoca outros problemas de saúde na sua boca.


13/05/2019 VOCÊ SABIA?

Grande parte das caixinhas de cigarro disponíveis no comércio traz o alerta do Ministério da Saúde: “Este produto causa câncer. Pare de fumar”. Não é exagero. O cigarro tem em torno de 4.700 substâncias tóxicas, incluindo aí a nicotina, causadora de dependência química, o monóxido de carbono, responsável pelo envelhecimento precoce (é fácil perceber que fumantes têm mais rugas e pele castigada), e o alcatrão, que provoca a aparecimento de diversos tipos de câncer.

E é justamente dessa associação com o câncer que muita gente tem uma percepção distorcida: acham que cigarro só provoca tumores malignos no pulmão. Errado. Cerca de 30% das mortes causadas por outros tipos de câncer – como colo do útero, bexiga, rim, fígado, pâncreas, estômago, esôfago – são provocadas pelo tabagismo. E, como o primeiro contato com o cigarro e sua fumaça é feito na boca, não é de estranhar que os problemas aí também sejam grandes – e até maiores que em outras partes do corpo. Dentre as pessoas que morrem de câncer bucal, 90% são fumantes. Sim, quase todas. Além do câncer na cavidade bucal, o consumo de tabaco ainda provoca essa doença mortal na faringe e laringe. Na boca, as partes com maiores índices de lesões cancerígenas são a parte posterior da língua e o assoalho bucal. (Áreas que permitem um autoexame constante para um diagnóstico precoce.)

Mas não é só o câncer que afeta sua saúde bucal por conta do tabagismo. O cigarro também provoca doenças periodontais – por ser um forte agente de acúmulo de placa bacteriana –, como inflamação das gengivas e periodontite (inflamação dos tecidos ao redor da dentição), que pode levar à perda dos dentes. Estudos apontam que a severidade da doença periodontal está relacionada aos anos de uso de tabaco e à quantidade de cigarros fumados por dia.

Como se não bastasse, o tabagismo ainda provoca amarelamento dos dentes. No cigarro, é a nicotina acumulada na superfície dental que – por produzir melanina – deixa essa pigmentação mais escura, além de provocar manchas acastanhadas nas gengivas. O clareamento dental pode contribuir para reduzir as manchas, mas se torna inútil se o indivíduo não deixa de fumar – logo os dentes voltam a ficar amarelos.

Por isso, se você é fumante, preserve a saúde – e a aparência – da sua boca. Com diz a caixinha do seu cigarro... pare de fumar.

ANS - Nº 41.895-1 Agência Nacional de Saúde Suplementar